SEJAM BEM VINDOS!

10000 visualizações obrigada a todos


OLHA QUE DOCE SURPRESA, AO OLHAR AS VISUALIZAÇÕES VI LÁ DEZ MIL, QUE FOFO GENTE, TO EMOCIONADA. 
ACREDITO QUE A MINHA VOZ TEM ECOADO PELOS ARES, QUE A"MISSÃO" ESTEJA SENDO CUMPRIDA. 
OBRIGADA DE CORAÇÃO A TODOS QUE ME AJUDAM A FAZER ESTE BLOG, QUE LÊEM MEUS POST's, QUE COMENTAM, OBRIGADA. 
DEUS ESTEJA COM VOCÊS!!!
LINDO LINDO LINDO!!!!!!!!!! 



Fechando o outubro..

O mês nao teve grandes acontecimentos, continua na mesma, alternando entre dias de euforia e de tristeza, e saudade, mas vou levando... Nunca perdendo o sorriso no rosto, mesmo que ele seja no canto da boca. Estou feliz por alguns motivos mas a saudade ainda é muito presente. Continuo estudando muito, na verdade, estudo o dia todo, tá apertado demais, mas o bom é que assim distraio a cabeça né...
Tenho tido muita felicidade com o blog e creio que de certa forma, mesmo humildemente tem informado e esclarecido alguma coisa, repito, não vou parar, não vou cansar de informar com o que sei, talvez esta seja a "missão".
Também estou muito feliz com as mamães de anjos que estão grávidas novamente, elas já fazem parte de minhas orações. 
Tenho tentado ao máximo me entreter e resgatar coisas que ficaram perdidas no passado, e aos poucos estou conseguindo.
Enfim, outubro metaforicamente foi o mês do "renascimento", afinal foram 9 mêses depois que o meu Lucas se foi e como em todo processo uma hora temos que reviver, voltar a viver mesmo. Estou tentando.
Que vá em paz Outubro...



Resgatando um "pouco de mim"...

Nessa "corrida pela sobrevivência" a gente vai deixando pra trás tantas coisas que faziam parte de nós, que nos deixavam feliz!!Bom, pra começar, agora que o outubro está quase terminando eu resolvi fazer um post sobre uma antiga paixão minha, pra ser mais exata,  há quase 3 anos atrás quando o blog  foi criado, ele era pra falar de.... "Sandálias Melissa", que eram realmente uma paixão e compulsão minha. Engraçado né como a vida nos dá rasteiras, como as coisas mudam de curso, de sentido, o blog que foi criado no intuito de falar de coisas que gosto, seu nome inicial era: "Coisas de Marissa", depois de um tempo, vem a se destinar a homenagear o meu filho, que não está mais entre nós. Esta, resumidamente é a verdadeira história do blog.
Deixando um pouco as historinhas e o sentimento, vamos lá, vou colocar umas fotos da sandálias da coleção recente, que eu gosto muito( antes de estar com o coraçãozinho machucado, eu amava).







Sensível demais, cansada demais...

Tenho andado tão cansada ultimamente, tudo me deixa cansada...não é preguiça não, é um cansaço interno se é que me entendem!!!!Acho que é de tanto lutar contra a dor, contra o sofrimento que as energias vem acabando...
Sensibilidade a flor da pele também tem me ocorrido, eu ainda to juntando meus caquinhos por aí...
Será que chega uma hora que a gente não aguenta mais, será que eu preciso de uma viagem, de uns dias off por aí pra poder repor as energias...
Ai que luta!!!

Insuficiência do colo uterino

Já ouvi muito sobre o  problema e também tive a oportunidade de ter uma pessoa proxima grávida com esta anomalia do útero, ela passou  mais da metade da gravidez com o útero cerclado, teve o seu bebê e hoje ele já tem quase 3 anos, então se estiver com um bom pre-natal é possível sim ter uma gravidez e um parto tranquilo.
O que é exatamente o colo do útero?
O colo do útero é a parte do útero que faz ligação com a vagina, uma espécie de "gargalo". Quando a mulher não está grávida, o canal cervical tem um buraquinho, pelo qual passam o fluxo menstrual e o esperma. Durante a gravidez, forma-se um "tampão" de muco e secreção para fechar essa abertura, protegendo o útero de infecções.
Numa gravidez normal, o colo do útero permanece firme, comprido e fechado até as últimas semanas, quando começa a amolecer, afinar ("esvaecer", no termo técnico, ou "apagar") e dilatar (abrir), preparando-se para dar passagem ao bebê no parto vaginal.
O que significa ter insuficiência istmo-cervical?
Ter insuficiência (ou incompetência) istmo-cervical quer dizer que seu colo do útero é mais fraco que o normal, ou que sempre foi mais curto, e que tende a dilatar e afinar sem que haja contrações, só pelo peso do bebê. O grande problema é que a dilatação pode acontecer rápido demais e o bebê nascer muito antes do tempo, ainda no segundo trimestre, quando ainda não tem condições de sobreviver fora da barriga, com menos de 20-22 semanas. É o chamado aborto espontâneo tardio.
Ou então o parto pode acontecer já no terceiro trimestre, mas o bebê ainda é muito prematuro (com menos de 32 semanas de gravidez), o que pode causar problemas à saúde dele.
Como vou saber se meu colo do útero é fraco ou não? Normalmente, o maior indício é já ter sofrido um aborto tardio ou um parto muito prematuro, sem que houvesse outras causas. O ideal é que, depois da experiência, e antes de engravidar de novo, a mulher converse com o ginecologista e investigue o problema. Se o diagnóstico for feito antes da gravidez, será mais fácil administrar o caso e pensar em procedimentos que evitem perdas (leia o próximo item).
Se o médico considerar que você corre risco de estar com insuficiência cervical, pode pedir ultra-sons transvaginais desde o começo da gravidez para medir o comprimento do colo do útero e procurar sinais de "apagamento" (afinamento). Quanto mais curto estiver o colo do útero, maior é a possibilidade de haver parto prematuro ou aborto tardio, dependendo do tempo de gravidez.
Caso o médico detecte incompetência cervical, pode tomar algumas providências, embora os tratamentos sejam controversos.
Quando a dilatação é observada no terceiro trimestre, o obstetra pode receitar injeções de corticosteróide para ajudar a amadurecer os pulmões do bebê, e orientar a mãe a ficar em repouso absoluto, deitada, para evitar que o colo do útero sofra a pressão do peso da criança.
Ouvi dizer que dá para costurar o colo do útero. É verdade?

Sim. Existe um procedimento chamado cerclagem, ou ainda circlagem, que ajuda a manter o colo do útero fechado. Ele é mais eficaz quando feito em mulheres que sabidamente já sofrem do problema, ou seja, que já tiveram mais de um aborto tardio ou parto prematuro sem explicação. Nesse caso, a cerclagem é feita entre 13 e 16 semanas, antes que as alterações no colo do útero sejam muito visíveis.
Fazer a cerclagem depois da detecção da insuficiência istmo-cervical é mais controverso, porque alguns especialistas alegam que, além de poder não funcionar, o procedimento traz riscos que podem acabar provocando o próprio parto prematuro: infecção, ruptura da bolsa e irritação do útero, causando contrações. Médicos e cientistas ainda estão tentando concluir se os benefícios superam ou não os riscos.
Como é a cerclagem? O que acontece depois?
A cerclagem é feita no hospital, com anestesia, e muitas vezes a mulher pode ir para casa no mesmo dia. Ela pode receber, pela veia, medicamentos para inibir contrações, durante algumas horas. O médico receitará repouso nos dias seguintes, e é possível que você sinta um pouco de cólica ou tenha um leve sangramento.
As relações sexuais ficarão proibidas, por um tempo ou pela gravidez toda. Provavelmente você vai tomar remédios para evitar infecções ou parto prematuro, e será acompanhada atentamente até as 37 semanas de gravidez, quando os pontos serão retirados. A partir daí, pode ficar tranquila para esperar o trabalho de parto começar sozinho.
É possível que seu médico recomende repouso. Não há provas contundentes de que permanecer na horizontal impeça o trabalho de parto, mas a intenção é aliviar a pressão do peso do bebê sobre o colo do útero.
Quem corre mais risco de ter insuficiência do colo do útero?
São motivos para ter atenção especial ao colo uterino:
• Se você já sofreu um aborto espontâneo no segundo trimestre, ou teve um parto prematuro sem causa aparente.
• Se você já se submeteu a um procedimento para retirada de lesões pré-cancerosas no colo do útero, como a conização ou biópsia em cone, ou uma cirurgia denominada "de alta frequência".
• Você teve alguma lesão no colo do útero num parto anterior ou numa curetagem, ou fez aborto.
• Você tem um colo do útero anormalmente curto.
http://brasil.babycenter.com/pregnancy/complicacoes/insuficiencia-colo/

Trigêmeos de Isabella Fiorentino: 1 deles recebe alta

Algumas coisas nos fazem refletir sobre "hora certa", "o que tem de ser será", destino, "está traçado"...
Um bom exemplo são os trigêmoes da renomada modelo e agora apresentadora Isabella Fiorentino, que teve uma gestação natural de trigêmeos, idênticos coisa rarísima, levou a gestação até início de 27 semanas, acreditem, 27 semans iniciadas, nem a metade era e o resultado, os três bebezinhos dela sobreviveram, e desde dia primeiro de agosto se encontram internados na uti-neo natal. A gestação dela segundo publicações seria levada até 32 semanas, o que seria normal para trigêmeos, pois é muito complicado levar mais adiante uma gestação que envolvem tres bebês, mas os dela vieram bem antes da hora, o que foi uma surpresa para a mesma. 
Fico muito feliz que eles sobreviveram, e um deles teve alta no domingo, o que será uma alegria para o casal. Ela como mãe continuará na batalha pelos outros dois que logo terão alta.
Então penso diante disto, a probabilidade de sobrevivênsia dos trigemeos dela era bem reduzida, imaginem 27 semanas é muito prematuro e eles estão aí...
Fica a coisa, tinha que ser!!!!O meu caso o meu bebê com 9 mêses completos, grande, e aparentemente com "nada errado com ele", visto que era uma criança perfeita e linda, não sobreviveu. 

Vejam as fotos dela:
GRÁVIDA DOS TRIGÊMOS

SAINDO DO HOSPITAL

  
SAINDO DO HOSPITAL
Em participação no Teleton, do SBT, onde sempre marca presença, a apresentadora do Esquadrão da Moda falou sobre a alegria de ter os seus garotinhos em casa.
“Os trigêmeos estão ótimos. Foram 90 dias no hospital, mas se Deus quiser dois dos meus filhos já vão vir para casa no final de semana e na próxima os três já estarão juntinhos comigo. Nesses três meses eu vivi para os meus filhos. Quando eles nasceram, diferente de todas as mães, eu não vi o rostinho deles. Eles nasceram e foram levados às pressas para a UTI neonatal, mas eu não fiquei tão chocada, porque quando a bolsa rompeu eu sabia que ainda não era a hora de nascer. Claro que eu queria eles nos meus braços no instante seguinte que vieram ao mundo, mas como eu estava ciente da situação, afinal eu já estava internada, o que mais me importava era a saúde deles, a vida deles”, disse.
 Indo ao hospital várias vezes ao dia para amamentar os pequenos, Isabella disse que tirou grandes lições desse tempo. “Se eu nunca tivesse passado por isso, até poderia achar a situação terrível, mas depois de três meses eu vi que tirei de letra. Foi tudo muito intenso, mas eu não trocaria isso por nada na vida. Toda essa dificuldade valeu por anos de terapia.”
 Sobre o leite, a apresentadora contou que tem para dar e vender. “Eu coloco dois (para mamar) e deixo um chorando com o coração partido, mas tudo dá certo, dá para conciliar. Graças a Deus eu tenho tanto leite que estoquei 300 vidros para doar, fora o que dou de mamar todos os dias.”
 Ela, que engordou 24 quilos durante a gestação, revelou que ainda precisa perder alguns quilinhos. “Não posso pensar em dieta agora, mesmo vocês me achando magra, eu ainda estou oito quilos fora do meu peso. Eu não posso ter restrição alimentar, porque meus filhos precisam de energia, só tenho que evitar comidas pesadas e muito gordurosas.”

Artigo completo sobre dia fértil...

PRA QUEM ESTÁ PENSANDO E PROGRAMANDO A GRAVIDEZ, ESTE ARTIGO DA WIKIPEDIA É MUITO ESCLARECEDOR
Monitorização da fertilidade é a prática de se observar os sinais da fertilidade da mulher para determinar as fases férteis e inférteis do ciclo menstrual. É um tipo de método contraceptivo, mas pode ser utilizada também para se facilitar a obtenção da gravidez, fazendo-se uso adequado das fases férteis. A monitorização da fertilidade é sempre usada para identificar a fase ou período fértil da mulher, seja para obter a gravidez, seja para evitá-la ou ainda uma maneira monitorar a saúde ginecológica.
Por isto há quem considere esta monitorização como não sendo propriamente um "método contraceptivo" já que pode igualmente ser utilizada para facilitar a obtenção da gravidez principalmente por casais que têm problemas para engravidar. Neste último caso seria um método conceptivo ou método concepcional, no sentido afirmativo da expressão. O método contraceptivo propriamente seria a abstinência sexual períodica que se faria valendo-se da monitorização.
É o que se pode chamar de Planejamento natural da família a monitorização dos períodos férteis e inférteis da mulher para se decidir quando engravidar ou não.
Características
Métodos estatísticos ou baseados no calendário, tais como o Método Rítmico, são menos preciso do que os métodos baseados nos sintomas. A Organização Mundial da Saúde classifica métodos baseados nos sintoma e os baseados no calendário como de "consciência da fertilidade", embora alguns professores que ensinam os baseados nos sintomas não consideram os métodos baseados no calendário possa ser consciência da fertilidade. O método do ritmo confia unicamente em contar os dias e em aplicar uma fórmula matemática a fim estimar o início do período fértil de uma mulher. Por causa de sua exatidão mais baixa, muitos professores de monitorização da fertilidade consideram o ritmo de calendário estar obsoleto no mínimo a 20 anos.
A maioria das mulheres que estão amamentando tem um período de infertilidade após o nascimento de sua criança. O método de amenorréia lactacional não é um método monitorização da fertilidade, mas devido a também não envolvem dispositivos ou produtos químicos, são frequentemente apresentados ao lado dos métodos monitorização como um método do controle de natalidade natural.
Os métodos naturais de planejamento familiar podem ser utilizados por qualquer pessoa que o deseje, não há necessidade da introducção objetos ou produtos estranhos no organismo. Neste caso o planejamento familiar não é uma responsabilidade exclusiva da mulher mas é compartilhado com o homem.
Os métodos naturais podem ser utilizados em qualquer momento, desde a menarca (primeira menstruação) até a menopausa, por serem aplicáveis a todas as fases da vida reprodutiva da mulher, esteja amamentado seu filho, se está no período de pré-menopausa ou em qualquer outra situação. Mas é necessária especial atenção com os ciclos irregulares.
Monitorização da fertilidade pode ser usado com todo o método não hormonal de controle de natalidade de modo que a atividade sexual possa continuar durante o período fértil. Para muitas mulheres, os período de fertilidade elevada coincidem com a época do líbido mais elevado, que pode causar a frustração se a abstinência sexual for usado.
Eficácia da consciência da fertilidade no controle de natalidade
As taxas controle de natalidade são mais elevadas para as pessoas que usam o monitorização da fertilidade são encontradas nos casais que receberam instrução de um professor experiente. Quando usados corretamente e consistentemente, estudos mostraram alguns medodos de monitorização da fertilidade apresentam 99% eficazes, o mesmo que contraceptivos orais.
Para todos os métodos da consciência da fertilidade, a eficácia real pode ser significativamente mais baixa do que a eficácia do método - alguns estudos encontraram taxas de falhas reais de 25% por ano ou mais. As taxas de falhas reais tem grandes variações dependendo da população que estão sendo estudados e do método ensinando - pelo menos um estudo encontrou uma taxa de falhas real de menos de 1% por ano,e diversos estudos encontraram taxas de falhas reais de 2-3% por o ano.Razões para a eficácia real ser mais baixa pode ser devido a erros por parte dos instrutores ou dos usuários, mas também à desobediência consciente do usuário, com a realização do ato sexual durante o período fertil.
Conseguindo a gravidez
Um estudo mostrou que os atos sexuais aleatórios conseguem uma taxa de gravidez de 24% por ciclo. Esse estudo encontrou, em atos sexuais programados baseados no método de temperatura basal, uma elevação das taxas da gravidez para 31%-68%.
Vantagens
Vantagens dos métodos naturais de planejamento familiar e de controle de natalidade:
Ao seguir as leis biológicas da reprodução respeitam a vida no seu início e em todas as etapas de seu desenvolvimento, promovendo uma atitude positiva com relação à criança.
Consideram a fecundidade como uma riqueza que pode e deve ser utilizada em momento oportuno.
São fáceis de aprender.
Aumentam o auto-conhecimento e a capacidade de auto-controle.
Não fazem com que a mulher fique na dependência de fármacos, dispositivos, medicamentos ou cirurgia.
Não têm efeitos colaterais, uma vez que não alteram os processos naturais do organismo.
Constituem um valioso guia para o bem estar ginecológico, pois alertam para problemas ou irregularidades do ciclo.
São aplicáveis em todas as condições e circunstâncias sócio-culturais, inclusive em mulheres cegas ou analfabetas.
Ajudam o homem e a mulher a assumir, conjuntamente, a responsabilidade da fertilidade fortalecendo o amor conjugal.
Os métodos naturais de planejamento familiar consistem, simplesmente, no fato do casal saber fazer um auto-diagnóstico para saber em que momentos é fértil ou infértil, para adequar suas relações conjugais a um ou outro momento, segundo desejam conseguir ou adiar uma gravidez e, portanto, são métodos de auto-conhecimento para que o casal faça uso de sua paternidade responsável.  Devido ao desenvolvimento da ciência e da técnica, hoje são conhecidos vários métodos que permitem o auto-conhecimento da fertilidade feminina, pois, enquanto o homem são é fértil em qualquer momento de sua vida adulta, a fertilidade da mulher é cíclica.
A mulher só é fértil durante aproximadamente 10 horas no mês, que é o tempo de vida do óvulo depois de sua saída do ovário, o que ocorre apenas uma vez por mês.
Métodos naturais sem equipamentos
Há três sinais anteriores a fertilidade que podem ser usados na Monitorização:
Temperatura basal. Secreção vaginal (os sistemas que confiam exclusivamente no secreção vaginal incluem o método de aviso da ovulação, o modelo de Creighton, e o método dos dois dias).Posição colo do útero (nenhum estudo foi conduzido em mulheres que seja exclusivamente sobre observações do colo do útero, embora um tal método seja sugerido.
Método Sintotérmico é a combinação da observação da Temperatura basal, do Secreção vaginal, e às vezes da posição colo do útero.
Método Rítmico

O método natural mais antigo que se conhece é o Ogino-Knaussambém chamado de Método de Ogino-Knauss ou Calendário ou Tabelinha, que permite obter, mediante cálculos matemáticos, os dias de fertilidade do casal, levando em conta que a mulher ovula apenas uma vez ao mês, nos 14 dias antes da próxima menstruação e que o óvulo vive aproximadamente 10 horas após a ovulação e o espermatozóide 72 horas depois da ejaculação, no muco fértil.
Quando os ciclos são regulares (*) o método é útil, porém, dadas as frequentes irregularidades, o método tem muitas falhas que geralmente se produzem porque o tempo entre a menstruação anterior e a ovulação depende da hipófise e ela por sua vez do hipotálamo e este do córtex cerebral; de maneira que qualquer stress poderá fazer com que a ovulação se atrase ou adiante. O mesmo não acontece com a segunda fase do ciclo que, quase sempre, é regular para toda mulher e que dura aproximadamente duas semanas, entre a ovulação e a menstruação seguinte.
Os cálculos são feitos tomando-se em conta os 12 ciclos anteriores. Do ciclo mais curto subtrai-se 19 dias e do ciclo mais longo 11 dias. C=19 e L=11. Por exemplo, suponhamos que a duração dos ciclos nos 12 meses anteriores foram de: 28, 27, 31, 32, 28, 30, 29, 32, 30, 28, 32 e 28 dias. O mais curto é de 27 dias e o mais longo de 32. Nesse caso teremos 27-19 = 8 e 32-11 = 21, de forma que por este método o casal seria fértil do dia 8 ao dia 21.
No caso de adiar uma gravidez o casal pode ter relações desde o primeiro dia da menstruação até o 8º dia e a partir daí deve guardar abstinência até o 21º dia a partir do qual pode reiniciar as relações. Este método tem um índice de segurança de apenas 64%.
Método da Temperatura Basal
O método da temperatura basal tem como fundamento o aumento da temperatura que a progesterona provoca na mulher. Esse hormônio começa a circular na segunda fase do ciclo menstrual ou seja, uma vez que o folículo se tenha convertido no corpo lúteo, depois que se dá ovulação. Quando a temperatura da mulher sobe é sinal de que ovulou.  Normalmente a temperatura sobe 2 décimos de grau Centígrado ou 4 Farenheit. Para registrar esse aumento de temperatura há que tomar, diariamente, a temperatura basal com o mesmo termômetro, nas mesmas condições e às mesmas horas, após duas horas de repouso, no mínimo.
Para adiar uma gravidez pelo Método da Temperatura Basal, deve-se guardar abstinência sexual desde a menstruação até três dias após o aumento da temperatura (2gC ou 4gF) além dos seis dias anteriores. É a conhecida regra de 3/6. Este método tem uma segurança de 99% mas exige uma abstinência muito prolongada.
Método da ovulação

O Método aviso da ovulação é um sistema natural e gratuito de regulação da fertilidade baseado na determinação, por parte da própria mulher, das fases férteis ou inférteis de seu ciclo menstrual, reconhecidas pela observação diária da Secreção vaginal recolhido à entrada da vagina.
Este muco apresenta variações durante o ciclo feminino, durante o período de infertil ele se apresenta mais espesso e coeso podendo ser observado quando manuseado a formação de um fio entre os dedos, com a aproximação da ovulação e com isso a entrada no período fértil, as glândulas do colo uterino produzem mucos cada vez mais aquoso e fluido, que quando manuseado não será observado a formação de um fio. É durante a ovulação que cumina o período de maior fluidez do muco. A fluidez do muco pode ter variações para cada mulher de acordo com fatores como quantidade de água que a pessoa costuma beber ou a própria fisiologia particular a cada uma.  Está variação da densidade apresenta uma importância para a defesa do canal vaginal, o muco mais denso constitui uma barreira física a entrada de organismos patogênicos, contudo também é uma barreira para a entrada do espermatozóide, por isso a diminuição da densidade do muco durante o período fértil para facilitar a penetração dos espermatozóide.
Este método consiste em anotar diariamente em um gráfico as mudanças que observa na secreção vaginal. Com este método a mulher deve passar um papel higiênico na abertura da vagina antes e depois de realizar suas necessidades e observar se aparece ou não o muco, bem como suas características. É um método seguro mas deve ser ensinado por pessoal qualificado pelo menos durante três ciclos.
O Método da Auto-apalpação Cervical 
 
é baseado nas mudanças das características do colo uterino, conforme o momento do ciclo menstrual pelas influências hormonais. Quando a mulher é fértil o colo está alto, macio e com o orifício central entreaberto, enquanto que na fase infértil o colo está baixo, encontrando-se muito facilmente quando se introduz os dedos na vagina, e está duro com o orifício externo fechado.
Método Sintotérmico
O Método Sintotérmico não é um método como tal, mas uma combinação de vários métodos uma vez que combina o cálculo pré-ovular de Ogino, as alterações do muco cervical do Método Billings, o registro da Temperatura Basal, a autopalpação do colo e cólica intermenstrual da ovulação. Pode-se utilizar a combinação de todos estes métodos ou apenas alguns deles. Quando se deseja adiar um gravidez usa-se para começar a abstinência no primeiro dos sinais ou cálculos da fertilidade que apareça e termina-se a abstinência no último dia do último método.
Métodos naturais com equipamentos
Existem outros métodos que também são naturais, uma vez que se baseiam na determinação dos momentos férteis ou inférteis para que o casal utilize sua paternidade de maneira responsável. Para a determinação dos momentos férteis ou inférteis utilizam acessórios.
Exame salivar com microscópio de bolso
A estrutura microscópica da saliva e do muco cervical variam se a mulher está no dia fértil ou não. Observando-se a saliva ou o muco cervical através desses aparelhos, com um simples treinamento, os casais podem determinar se a mulher está fértil ou não. Existem diferentes marcas desses aparelhos, as mais conhecidas são o Ovulator e o PG-53.
Método Monoclonal
Os Métodos Monoclonais são muito simples em sua utilização. Consistem em fazer um exame de urina buscando a presença do hormônio luteizante que, apesar de estar sempre presente, tem um aumento brusco nas 24 a 36 horas antes da ovulação. Tem por fundamento o Teste de Elisa baseado em anticorpos monoclonais, que utiliza uma técnica de tiras reativas impregnadas.
Quando o hormônio luteizante está baixo a tira se mantém branca ao colocar-se em contato com a urina, mas quando o luteizante está alto, o que ocorre quando a mulher está fértil, a tira fica azul, daí levar o nome de Bluetest. Existem outros similares porém com produtos em gotas no lugar de tiras impregnadas.
Termômetro eletrônico
O termômetro eletrônico é um pequeno aparelho computadorizado que indica os dias férteis da mulher utilizando-se de dados da temperatura basal e do muco cervical. Os mais conhecidos deles são o L-Sophia e o Bioself.
Monitor eletrônico de hormônios
Os analisadores eletrônicos de hormônios verificam os níveis dos hormônios que são alterados periodicamente durante o ciclo de fertilidade da mulher acumulando a informação numa base de dados, isto os possibilita fazer um prognóstico com alto grau de precisão da aproximação do período fértil da mulher. Os mais difundidos são o PERSONA e o CLEARPLAN
 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Monitoriza%C3%A7%C3%A3o_da_fertilidade

Minha vida sem "ele"...


Diante de toda a felicidade que me destes enquanto esteve comigo, digo, meu filho , a dor e o vazio que eu sinto hoje sem você chegam a ser maiores que minha própria existencia! A mãe que passa pela perda de seu filho segue sua vida faltando um pedaço , é como andar sem rumo,é viver sem saber aoende chegar e o mais difícil, talvez seja se adaptar a nova vida sem o seu tão amado e esperado filho.
Minha vida sem ele é marcada por vários momentos, alguns tão fortes que eu mesma sinto pena de mim, chega a doer lá no fundo da alma. O primeiro momento de minha vida sem ele foi "acordar do choque", foi entender que aquilo tudo realmente tinha aocntecido comigo, que não foi um pesadelo da noite passada, foi real, os momentos de pavor foram vividos sim por mim! Muitas pessoas, familiares e amigos que estiveram no hospital  comigo me disseram que eu fui muito forte, me chamaram até de heroína, e eu passei muito tempo sem enteder, me relataram que durante as horas de indução do parto eu não dei nem um grito de dor sequer, mas sabem na verdade a dor maior era a interna, era a que corroía a minha alma, a dor física eu já não sentia mais naquele momento. Então, acredito que o maior sacrifício foi sair do choque, foi encarar a dura realidade de vir pra casa sem o filho, foi ter passado um parto normal e não ter visto o  meu filho no final, foi descer a rampa do hospital só com meu marido e com a malinha de maternidade, sim, foi com ela que eu voltei pra casa e junto, o meu mar de lágrimas...
Minha vida sem ele também passou por um período de profunda depressão, momento que eu não queria mais viver...Eu chorava dias a fio, um choro tão profundo, tão verdadeiro, eu precisava desabafar, sou do tipo que não aguenta guardar os sentimentos, sendo assim eu desabava. Falava dele e do fato o dia todo, ligava pra minha mãe que se desdobrava em palavras pra mim, colocava todas as situações, o que poderia ter acontecido se ele tivesse sobrevivido, nossa, todos penavam por mim. Meu marido, também sofredor, não sabia mais o que fazer por mim, ele as vezes de dava uns "chás de realidade" pra ver se eu levantava, se eu voltava ao normal. Então foram assim mais ou menos uns 6 mêses, já estava preocupada porque para os psicólogos, o luto dura em média este tempo e eu nada de melhorar. Tomei remédios antidepressivos, ficava "grog", mas quando passava o efeito eu voltava com o dobro das emoções... Sabem quando eu melhorei? Acreditem, foi depois que eu tive forças pra ver a foto que eles tiraram dele dentro do caixãozinho, vendo aquele bebezinho lindo , parecendo que estava dormindo eu me emocionei muito, me deu uma paz absurda. Vi que as pessoas não mentiam pra mim, realmente ele era um lindo menino, e ver aqueles traços muito parecidos com os meus me deu uma força do tamanho do mundo, era então "a primeira vez que eu estava diante de alguém parecido comigo". Depois de ver meu filho eu levantei mesmo, eu quis viver de novo e voltei a vida!
Minha vida sem ele é marcada pela falta, pelo vazio, pelo "espaço que é dele e que não foi ocupado. Minha vida sem ele é marcada por situações em que foi preciso muita força, por exemplo, ver os outros bebezinhos que nasceram junto, depois dele, ver que a vida continua, que as festinhas de aniversários de bebês vão continuar acontecendo, ver as fotos nos orkut de bebês de amigas minhas crescendo, e eu aqui, sem neunhuma alegria, sem poder compartilhar com meus amigos a felicidade de ver meu pequeno crescer...Engraçado, eu preocupei tanto com as grávidas da minha cidade, eu ligava pra elas pra saber se estavam bem, me preocupava quando alguma entrava nas 40 semanas, e olha o que a vida me prega, o meu bebê é que precisava de atendimento, de ajuda, de socorro...
Minha vida sem ele hoje, depois de 9 mêses é também marcada por uma saudade, imaginem, saudade do que não tive, somente uma "mãe de colo vazio" pode explicar isto. Eu sinto falta dele, falta talvez de não ter vivido tudo que eu imagina, porque foram muitos planos. Em uma das sessões com a psicóloga ela me disse que o meu sofrimento é exacerbado assim porque eu depositei toda a minha vida nesta criança, que eu fiz planos e tudo girava em torno dele e não de mim...Ora, eu não concordei mesmo, gente, era meu filho. Eu parei de trabalhar, fiz planos pra recebê-lo e cuidar exclusivamente dele e não me arrependo de jeito nenhum, faria tudo de novo, o foco era meu filho sim!!!Se sofrer demais for realmente por causa disto, que "sofrimento lindo né", vou para o túmulo na certeza de que vivi por ele e para ele e que ainda vivo por ele...
Minha vida sem ele é marcada por sofrimento, por falta, por vazio. 
Mas a minha vida sem ele me ensinou muito, me fez crescer, me fez querer viver de novo. Depois de todos os processos que tive que passar para chegar neste ponto, eu digo, eu evolui. Como diz Cissa Guimarães no vídeo que ela fez pro Fantástico e que também tá no blog, "se depois de uma porrada dessa da vida você não evoluir, que pena, você que deveria ter ido!" e é verdade, eu me tornei uma pessoa melhor, me preocupo mais com as pessoas, me preocupo mais em viver daqui pra frente. Eu sinto tanto a falta do meu filho, mas por trás desta grande dor eu tenho uma mulher tão forte dentro de mim! Tem horas que eu olho pra trás e vejo o quanto eu sou forte! Outras poderiam ter desistido no meio do caminho, como tenho exemplos aqui, mas eu não, com dor, carregando os cacos eu vou seguindo...Haverão dias em que eu estarei reclusa, no meu cantinho, comigo mesma, e dizendo:'"só me deixe aqui quieta, isso passa!" Passa sim. Eu quero dar exemplo para todas vocês que passam por isto que passei, ou por situações piores, como eu mesmo digo, não há dor maior ou menor, há dores, e elas são dores, que se manifestam de formas diferentes para cada tipo de pessoa. Não pense que sua dor é menor ou maior que a minha, há situações diferentes, porque a dor que a mãe sente independente de quanto tempo estava quando perdeu seu filho, é dor do mesmo jeito. 
Se me perguntarem por aí  tá tudo bem Marissa, eu digo, tá tudo bem!
Eu quero ser força! Eu quero ser força!
Minha vida sem ele daria pra escrever um livro...


Blog aberto para comentários

Amigas eu abri o meu blog para que todos possam colocar comentários, críticas e sugestões, sem haver necessidade de logarem, de possuírem open id, ou blog...
Só permaneci com a moderação dos mesmos, sigam os passos até o final para que o comentário seja publicado. Você não vai vê-lo imediatamente no blog porque estará passando por uma moderação antes de ser publicado, mas saibam que leio todos com muito amor e carinho!
Aguardo os comentários de vocês queridos leitores!!!
Um imenso abraço a todos!!!




Minha vida "com ele"...


A começo de conversa, minha concepção sobre a vida me faz defender que a "vida" se inicia desde o momento da concepção, pra ser mais sincera ainda, acredito que a "vidinha" já se inicia lá na corrida do espermatozóide maroto e espertinho atrás do óvulo.Diante disto hoje venho escrever aqui a minha vida com ele, com meu filho, que viveu dentro de mim e de nossas vidas, amigos, familiares e meu marido durante os 9 mêses que esteve "habitando nossos corações". Não dá pra passar em branco tudo o que eu vivi  na gestação do meu amado Lucas, um bebê, feto como a medicina chama, que marcou profundamente, que deixou sua luz e me ensinou muito, sobre superação e luta pela vida.
A gravidez foi muito tranquila,  não me esqueço do seu primeiro chutinho, bem discreto, acreditem, senti seus primeiros movimentos com 3 meses e meio, precoce ele né!!!Sim, meu meninão já dava seus primeiros "ois" pra vida aqui fora. Bom em se tratando de chutinhos, os dele eram uma partida de futebol inteira, como mexia este menino, subia na minha costela, dava piruetas em minha barriga, que alegria era isso, eu conversava com ele, falava do amor imenso que sentia e da sua importancia em nossas vidas; engraçado, uma amiga do blog me disse que esperitualmente falando, para sua crença, espiritismo, o meu bebê conseguiu absorver todo o amor que ele receberia em toda a sua vida dentro do meu útero, nossa, quando ela me escreveu isso me deu uma paz tão grande, porque de fato, amor ele teve demais, pra ser mais clara, eu enlouquecia de amores por este menino, eu me apaixonei loucamente por ele, tudo que eu fazia era por ele e para ele...nossa falando assim me dá aquele apertinho no peito, hum que saudade que me dá!!! Eu acordava todos os dias e ele parecia que acordava comigo também, ía fazer o café pro papai ir trabalhar e ele lá, "vamos lá mamãe, aperta o passo, já são quase 7 da matina, papai tem que ir kkkkk!!!!! lindo!!! E depois do café eu sentava no sofá e ia bater nossos papinhos, contava tudo pra ele,e falava dos nossos planos, ele "respondia", com mechidinhas...
Eu era tão neurótia, isso mesmo, porque morria de medo de acontecer algo com ele, que quando o pequeno estava tirando seu cochilo eu logo agitava a barriga, pra ele me dizer que tava bem que tava vivo, ironia do destino né, no último dia de vida ele não mexeu, desconfiei!!! Eu lia tudo, assinei boletins nos sites especializados em grávidas e todos os dias lia sobre seu desenvolvimento, acompanhei cada semana, cada dia...
Só que infelizmente quando a gente está grávida não olhamos os problemas, só as maravilhas, talvez se eu tivesse lido sobre problemas da gravidez talvez desconfiasse de alguma coisa, mas, enfim, não foi assim que aconteceu. Fiz curso de gestantes, aprendi a dar banho, trocar, tudo, pra estar preparda pra cuidar do rebento. Assisti vários vídeos de partos, tanto o normal quanto a cesárea, e morria de medo de parir normal, e mais uma vez o destino me prega uma peça, tive que dar a luz por parto normal, induzido e doloroso, mas tinha que ser assim!!!!
Os preparativos, nossa, que imensa alegria era comprar suas coisinhas, eu chegava nas lojas e mandava descer tudo, olhava, imaginava ele, que fofo!!! Encontrei uns sites na internet, de venda de roupas de bebê maravilhosas e eu comprava, e a espera pra que o produto chegasse, quando o carinha dos correios parava na minha porta era o dia da alegria, eu corria e pegava as caixas, abria um por um, imaginava meu lindo lá dentro das roupinhas...A que nos marcou foi um roupão de banho próprio para bebês, lindo, minha mãe adorava ele, é tanto que até hoje ela lembra e não tem nem coragem de ver este roupão, afinal era o primeiro netinho deles, imagino a dor que eles de certa forma escondem de mim.
As ultrasons, meu Deus que momento lindo que era,a primeira foi assim surreal, quando ouvimos o coração dele pela primeira vez choramos juntos, eu e meu marido, foi o som mais lindo que ouvimos...Cada uma foi gravada, agora por coincidencia, a ultima ultra e com certeza a decisiva, nós não gravamos, seria aquela indicativa de falta de liquido feita 10 dias antes dele nascer... não consigo perdoar o médico que a fez, ele disse que o liquido tava pouco mas que era normal...nossa, como eu queria ter o poder de voltar atrás de mudar este dia, de na verdade, nem ter ido a este médico!!!! Mas ele está nas mãos de Deus!!!!
Meu filho era luz, onde ele passava comigo deixava seu encanto, eu não entendia porque as pessoas queriam tanto me ver, se preocupavam exageradamente comigo, mas na verdade, nao era eu, era que as pessoas sem saber, estavam diante da luz de um anjo, sim, ele era um anjo!!!! Espiritualmente falando são muitos acontecimentos marcantes que denotam isto, mas só hoje eu consigo interpretar desta forma...
O amor que as pessoas tinham por ele era indescritível, todo mundo falava seu nome, Lucas, ele tinha sua identidade antes mesmo de nascer..
Minha vida com ele foi a mais bela, a mais linda!!Os momentos que passamos juntos me tornou uma pessoa mais amável,mais cuidadosa, mais humana mesmo. Eu senti o amor através do meu filho. Eu sinto tanto por não ter vivido nem um minuto de vida com ele, porque eu ia olhar dentro de seus olhinhos e lhe dizer meu filho eu amo você!!!!
Obrigada meu amor por ter tornado a minha vida um sonho enquanto esteve comigo!!!
Você me deu um exemplo de perseverança, de querer lutar pra viver, ele já estava doentinho porque acreditamos que o meconio tenha acontecido por volta das 38 semanas, e ele viveu, lutou por mais ou menos 15 dias pela vida, pra nao me deixar pior, ele não deixou nada de ruim acontecer com minha saude, minha vida, e por isto que eu estou aqui, lutando por cada dia de vida, por cada segundo de vitória que eu consigo, sabem, é muito dificil, mas eu estou aqui lutando pela vida assim como meu filho lutou!!!
Minha vida com ele foi amor, luz...
Minha vida com ele!


Mito ou verdade? Grávida pode ficar perto de tintas...


Grávida pode pintar paredes ou ficar perto do cheiro de tinta?
Escrito para o BabyCenter Brasil


Grávida precisa tomar alguns cuidados para pintar paredes ou ficar por perto quando um ambiente está sendo pintado. A resposta sobre se ela pode ou não sentir o cheiro dessas tintas e trabalhar com ela depende do tipo de tinta.
Algumas tintas contêm substâncias com as quais você deve evitar o contato durante a gravidez. Em geral, tintas possuem pigmentos ou corantes que ficam em suspensão em um líquido que, por sua vez, pode conter solventes, aditivos secantes, diluentes e outros componentes. Os pigmentos presentes na tinta podem conter metais como chumbo, zinco e alumínio.
Tinta acrílica (ou à base de látex)
Esse é o tipo de tinta mais comum no mercado para paredes. Ela não contém solventes, pode ser limpa com água e sabão, e é, em geral, considerada segura para o uso e o contato durante a gravidez -- desde que o local que esteja recebendo a pintura seja bem ventilado.
Existem versões hoje com cheiro reduzido -- depois de algumas horas da pintura, quase não há mais odor.
Mas, se o cheiro da tinta incomodar você, vá para um lugar ao ar livre e peça para outra pessoa terminar o serviço.
Tinta a óleo e esmalte
Os esmaltes à base de óleo contêm solventes e têm de ser limpos com terebintina ou aguarrás mineral. Eles são usados para pintar superfícies como madeira e metal, e têm cheiro forte.
Alguns estudos científicos mostram que, ao longo dos anos, o contato com solventes pode aumentar o risco de aborto espontâneo, e que a proximidade mais constante e contínua com o produto pode aumentar as chances de um bebê com problemas físicos congênitos ou dificuldades de aprendizado.
Portanto, o uso deste tipo de tinta – ou mesmo o contato com seus odores – não são recomendados durante a gestação.
Você pode pedir para outra pessoa realizar o trabalho com tinta a óleo em sua casa, mas não fique por perto enquanto a pintura estiver sendo feita. Deixe a casa e os ambientes bem ventilados após terminado o serviço. Não há problemas se você ainda sentir o cheiro da tinta depois disso. Enquanto não se sentir mal por causa dos odores, não há riscos para o bebê.
Não se preocupe se você fez alguma pintura ou teve contato com tintas a óleo antes de saber que estava grávida, pois as chances de ter prejudicado o bebê são muito pequenas.
Se você trabalha diretamente com tintas a óleo ou tem um contato permanente com o material por causa da sua profissão, tome os seguintes cuidados:
- Diminua o número de horas em contato com este tipo de tinta. Como é difícil precisar exatamente o tempo mais seguro de proximidade, você é quem deve julgar. Se em algum momento você se sentir indisposta por causa do cheiro forte, interrompa o que está fazendo e vá para algum lugar aberto tomar um pouco de ar fresco até se sentir melhor.
- É fundamental que o ambiente de trabalho seja bem ventilado. Mantenha as janelas abertas para evitar a inalação dos odores da tinta e utilize uma máscara para filtrar partículas e gases prejudiciais.
- Use luvas, calças e camiseta de manga comprida para proteger sua pele do contato com a tinta.
- Para evitar a ingestão acidental de substâncias químicas, não coma nem beba nada no local onde está usando a tinta a óleo.
Cuidado na hora de lixar, por causa do chumbo de tintas antigas
O Brasil tem uma legislação que determina um limite máximo para a quantidade de chumbo presente nas tintas. Mas a lei é recente, e esse tipo de material foi amplamente utilizado antes disso em muitas construções. Por isso é preciso evitar trabalhar ou entrar em ambientes que estejam passando por reformas e onde a pintura esteja sendo descascada ou lixada.
Você pode acabar inalando partículas de chumbo, o que pode ser prejudicial a você e ao bebê.
Deixe o trabalho de remoção de pinturas antigas para outra pessoa e só permita que ele seja realizado quando você não estiver por perto. Só volte a entrar no ambiente depois que a tinta anterior e a poeira tiverem sido removidas.
Sobre defeitos congênitos
Qualquer pessoa pode ter um bebê com malformações ou defeitos congênitos. É um problema que atinge entre 3 a 5% dos bebês. Acredita-se que menos de 10% desses defeitos sejam provocados por agentes teratogênicos, como o álcool, drogas, medicamentos, doenças da mãe e produtos químicos. (Um agente teratogênico é algo que altera o desenvolvimento do feto). Ou seja, na maioria dos casos o defeito não é "culpa" de nada que a mãe tenha feito.
Mesmo assim, cuidar-se durante a gravidez -- mantendo uma alimentação balanceada, evitando álcool e drogas, e só tomando medicamento sob prescrição médica -- vai aumentar as chances de ter um bebê saudável.
O contato rápido e cuidadoso com tintas e seus odores não deve aumentar o risco de seu bebê apresentar problemas.
Por Lori Wolfe, especialista em genética
http://brasil.babycenter.com/pregnancy/e-seguro/cheiro-tinta/

Sonhei com meu filho!


É com imensa felicidade que venho fazer este post hoje, eu pedi tanto a Deus que eu tivesse a oportunidade de um dia sonhar que eu estava cuidando do meu filho e depois de muito tempo isto aconteceu, foi muito bom, maravilhoso, eu tive a chance de viver um sonho lindo com ele, senti-lo, abracá-lo, e creio, que ele me deu esta chance. Não vou expôr aqui neunhuma crença, espiritualidade, até mesmo por não ter, mas dentro de mim, eu sinto que ele "veio" me ver, me dar a chance de sentir seu corpinho, sua presença. 
Não sei exatamente quanto tempo durou, mas no sonho foi duradouro. Foi mais ou menos assim, eu acordo todo dia as 6:30 da matina e hoje me deu um soninho, nisto eu liguei a tv e deitei no sofá, sonhei que eu acordara e estava de cara pro berço, fui lá tirei ele e fui logo indo trocar a fraldinha dele, tava cheia de cocozinho, e eu fui brincando com ele e trocando ele. Ai meu Deus que sensação inexplicável, que coisa linda, surreal. Só que no sonho eu tava sem saber onde estavam as coisinhas dele, procurava o talco, as fraldas e os lenços umedecidos, e no próprio sonho eu falava, com uma pesssoa que tava perto de mim no quarto, eu não sei onde tá nada, porque ele não ia sobreviver...muito estranho isto, no sonho ele tinha morrido, mas depois sobrevivido, acredito que seja devido a confusão da minha própria mente em saber o que é sonho e o que pe real. Ele era tão grandão, gordo, lindo e esperto, já tava reconhecendo as coisas, e me reconhecendo, lembro que eu brincava com a barriguinha dele e ele morria de rir. Depois, no sonho eu lembro de ter dormido perto dele e depois eu acordei de novo e ele não estava mais no meu lado, saí correndo e fui encontrar ele dentro do tanque de lavar roupa com água em cima dele, tipo afogando, eu fui correndo e vi ele lá, engraçado e estranho mesmo, é que a imagem que eu vi dentro do tanque é a dele na foto que eu tenho no seu velorio...Eu neste momento desesperei, corri, e tirei ele, e fiz umas massagens cardíacas nele, com todo custo ele voltou em vida, fiz uma respiração boca-a-boca e ele voltou, eu saí correndo com ele e voltei pro meu quarto, e lá parecia um paraíso, ele já estava bom e eu novamente pude cuidar dele, novamente, tirei a fralda e mais uma vez ele tava cheio de cocô...eu limpava aquilo com uma felicidade que não cabia em mim...E mais uma vez eu procurava fraldas, lembro que abri o guarda roupa e lá dentro estava um monte de fraldas sem embalagem, espalhadas, e eu falava, elas estão assim porque eu guardei tudo meu filho...sinceramente esta parte do sonho eu não sei explicar, porque, que no sonho ele tinha vindo pra mim novamente? Ele tinha "sobrevivido", e eu tinha plena noção de que eu tinha passado por tudo que passei, o diferente é que eu tava ali emocionada, encantada e podendo viver um pouco com ele de tudo que eu não tive a oportunidade de viver...Ai meu Senhor, que emoção a minha aqui escrevendo este post, foi tão real, eu acordei chorando porque eu senti que "ele" me deu a chance de viver um sonho lindo com ele!!!!
Foi tão marivilhoso limpar cocô de neném srsrsrrsr!!!!! Eu vendo ele ali mexendo as perninhas gordinhas, a barriguinha dele, linda...e tudo isto que eu vi são coisas desejosas em meu coração, que eu infelizmente não pude ver, sentir, tocar...
Tentando interpretar partes do sonho, acredito que o episódio dele inundado no tanque com água e tipo que "afogando", talvez tenha sido ele me dizendo que ele faltou líquido, porque sonho geralmente é ao contrário né... Ele aspirou mecônio, talvez tambem a agua afogando ele seja a metáfora de como fosse o mecônio... E eu estava o tempo todo limpando ele, mais uma relação com o que aconteceu. Ai quem me dera eu saber interpretar os sonhos!!!!
Mas não importa bem isso não, meu sonho foi relaizado e eu sonhei com meu filho, eu o sentipor alguns instantes, o seu cheiro, a sua pele, vi suas mãozinhas, seu pe, barriguinha, e amei, amei trocar fraldas....
Obrigada Deus, obrigada Lucas por ter vindo aqui "visitar "a mamãe que tanto te ama.
Gente termino este post muito emocionada, as lágrimas caem, mas é de felicidade, não se preocupem!!!!


9 mêses sem você!!! "O (re) nascimento

Nossa, data significativa né , 9 meses, seria viver todo o tempo da gestação novamente, seria o nascimento, e para mim, o renascimento. 
O momento agora se encontra assim: tenho muitas esperanças, sigo em frente sim, mas a saudade dele, nossa, me mata. Tenho amigas que engravidaram junto e hoje eu fico vendo o crescimento dos bebês e penso que o meu estaria assim, uma eu soube, que lindo, já está nascendo os primeiros dentinhos, que gracinha; sendo assim, penso que o Lucas a estas alturas estaria apontando seus dentinhos também!!!
Pois é, fazer o que né, não o tenho aqui, e só me resta a saudade...
Queria hoje estar fazendo um belo post, sobre renascimento, felicidade....mas hoje meu post é breve, não estou com o espírito  radiante, estou bem, só isto!
Como de costume, todos os mêses eu venho aqui falar sobre o "aniversário da perda", estranho né, mas é isto!!!
Meu amado Lucas, eu lhe digo que a mamãe não lhe esqueceu não, todos os dias eu lembro de você com muito carinho. Sinto sua presença e creio que você tem me guiado por esta vida louca aqui. 
Amoooo muito você e nada neste mundo fará com que eu te esqueça meu amor!!!
Cuida da mamãe, preciso muito de você!!!!
9 mêses, que eu renasça, que eu rompa agora com as barreiras que ainda me impedem de ser totalmente feliz!!!Foi uma "gravidez ao contrário" nestes 9 mêses sequentes, eu tive que ir acompanhando o meu crescimento a cada mes, a minha recuperacao,  e bom, o "parto aconteceu", e nasce aqui uma mulher ...









Wanessa Camargo está grávida já de 6 mêses...




Ela já está grávida de 6 mêses e já engordou 9 kg, segura o pé menina srrsrsrrs!!!! Mas desejo tudo de bom, que Deus abençõe você e o bebezinho!!!!!
Ela fez parte da minha adolescência e eu ouvia as músicas dela, fases rsrsrsrs!!!!


abixo algumas declarações dela sobre a gravidez:
"Estou naquela fase 'gordinha', com o rosto de bolachinha, as pernas e barriga inchadas. Está tudo crescendo para os lados, cresci na circunferência. Do jeito que estou comendo, com seis meses o hambúrguer vai aparecer", brincou.
"A nova forma, no entanto, não tem atrapalhado as apresentações da cantora, cheias de coreografias cadenciadas. "As pessoas se assustam, acham que estou mexendo demais. Tem muito truque de cabeça: você mexe a cabeça e dá a impressão de ser o corpo todo. Fico até com torcicolo", brincou ela"

No palco, Wanessa faz adaptações para ter uma gravidez saudável sem perder a energia.
"Você vai sentindo até onde pode ir, seu corpo vai colocando os limitres, e você vai se adaptando. Isso não só nos shows, mas no dia a dia mesmo. Você evita movimentos bruscos, cuida mais", detalha. "Mas claro, no começo eu não sabia até onde podia ir. Agora sei que posso continuar dançando, pois é importante uma atividade física. E a dança sempre foi minha atividade", emenda.

O armário da cantora também sofreu alterações, assim como o figurino de suas apresentações - na maioria, maiôs e shortinhos. "Não consigo mais vestir roupas muito apertadas. Tenho que pensar em peças confortáveis, mas sem perder meu estilo, claro", fala a filha mais velha dos avós corujas Zezé Di Camargo e Zilu.

Mamãe de primeira viagem, Wanessa já comprou grande parte do enxoval, nos Estados Unidos. "Durante estes quatro meses estive envolvida com o CD, mas já deu para comprar algumas coisas fora e outras no Brasil mesmo", diz, afirmando não ter nenhum desejo por comidas. "Nada, está tudo como antes", afirma. A vida sexual com o marido também continua a mesma, segundo ela. "Para algumas pessoas muda para pior, e outras para melhor (na gravidez). Depende de cada uma. As vezes fico com medo do peso sobre a minha barriga, me sinto gorda...Mas está tudo normal ainda".
Após a primeira apresentação, a cantora contou que já sente os efeitos da gravidez em sua performance no palco. "Estou passando bem na gravidez, mas sinto que vou ficando mais cansada", disse.
"Sobre o corpo, que já ganhou nove quilos desde o início da gestação, Wanessa se define como satisfeita com as novas formas. "Já estou usando mais as roupas de grávida mesmo. E estou feliz com o meu corpo", revelou. "


Linhaça para gestantes

Por Giuliano Agmont
Foto Gustavo Arrais
site: BEBE.COM.BR

A linhaça não é remédio nem poção mágica
Dieta balanceada, prática regular de atividade física, ingestão de muita água, pouco estresse e nada, mas nada mesmo de cigarros e afins. Exceto em situações especiais, essa é a fórmula básica de uma gravidez sem percalços. Portanto, não caia na tentação de achar que a linhaça sozinha vá fazer milagres. Essa história de que existem panaceias para todos os males é conversa. Outro alerta: os benefícios desse grão precisam de tempo para serem notados no dia a dia de quem o consome. Nada acontece de um dia para o outro. Começar a comê-la hoje e imaginar que amanhã tudo estará bem é uma ilusão.
Age em todos os órgãos e sistemas
A linhaça é um alimento funcional, ou seja, auxilia na prevenção de vários problemas. É um grão completo e versátil, que reúne carboidratos, proteínas, gorduras e fibras. Além disso, é uma fonte natural dos chamados compostos bioativos ou fitoquímicos, que inibem a degeneração precoce de nossas células. Aliada a uma dieta equilibrada e exercícios físicos, ela evita o sobrepeso, protege contra as doenças obstétricas e reduz o risco de um parto prematuro.
Melhora o funcionamento do intestino
Assim como outros cereais integrais, a linhaça –– em forma de semente ou farinha –– é rica em fibras. Isso faz dela uma poderosa aliada no combate à prisão de ventre, bastante comum durante a gestação por causa das alterações hormonais, que deixam o intestino mais preguiçoso. Mas é importante associar a ingestão de linhaça e outros alimentos cheios do nutriente a bastante água, pelo menos 2 litros por dia. Sem o líquido, a fibra tem o efeito inverso e pode até favorecer a constipação. Ao garantir a formação de fezes bem hidratadas, você também atenua os efeitos de eventuais hemorroidas.
Controla sua fome de leoa
A consistência da linhaça contribui para aumentar a saciedade. É que ela precisa de mais tempo para ser absorvida pelo organismo do que outros alimentos, como os doces. No final das contas, isso faz com que a fome demore a voltar. Há evidências ainda de que a linhaça tenha substâncias que estimulam a produção de um hormônio controlador do apetite. Tudo isso é importante para evitar o ganho de peso, que deve ficar entre 9 e 12 quilos durante a gestação – ou menos, para as mulheres obesas ou com sobrepeso
Mantém sua saúde em ordem
O consumo regular de linhaça auxilia na prevenção de problemas como diabete, hipertensão e colesterol alto, que patrocinam males cardiovasculares, em especial o infarto e o derrame. Na gravidez, esse hábito pode também conter, ou amenizar, o diabete gestacional e a doença hipertensiva específica da gravidez (DHEG). É que as fibras da casca da semente tanto favorecem o aumento do chamado colesterol bom, o HDL, que varre o excesso de gordura do corpo, como ajudam no equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue. Paralelamente, o óleo da linhaça é rico em ácidos graxos ômega-3 e ômega-6, que estimulam a produção das chamadas prostaglandinas, responsáveis por melhorar a circulação sanguínea, reduzir a pressão e diminuir o colesterol ruim, o LDL, e os triglicérides no sangue. 
Previne a retenção de líquidos
Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 e ômega-6, presentes na linhaça, são também responsáveis por um trabalho de suma importância para as gestantes. Ao estimular que a produção de prostaglandinas, favorecem a circulação sanguínea e, assim, contribuem para a retirada do excesso de sódio dos rins, reduzindo a retenção de líquidos. Só para ter uma ideia, eles se encontram num volume 60% maior nas gestantes e são determinantes para o inchaço do seu corpo. Nas mulheres em geral, o ômega-3 e o ômega-6 ajudam a equilibrar o humor durante a síndrome da tensão pré-menstrual. 
Contribui para a formação do bebê
Outro benefício bastante festejado dos ácidos graxos é sua ação no desenvolvimento do bebê. Acredita-se que a oferta das gorduras ômega-3 e ômega-6 no período pré-natal contribua para o crescimento, a formação cerebral e o desenvolvimento cognitivo da criança, bem como a prevenção de doenças crônicas no futuro, já na fase adulta. E o mais interessante é que a linhaça oferece essas duas gorduras em quantidades bem equilibradas. 
Fortalece as defesas do seu corpo
A linhaça reforça a imunidade da mulher grávida, o que é especialmente importante para aquelas que estão abaixo do peso. Isso porque a semente também é rica em prebióticos, ou seja, fibras não digeríveis, que vão servir de alimento para micro-organismos da flora intestinal responsáveis pela produção de substâncias importantes para o funcionamento do sistema imunológico. Só não confunda com os probióticos, que são organismos vivos presentes em algumas bebidas.
Combate os radicais livres
Os compostos de oleaginosas, como a linhaça, têm função antioxidante. Em bom português, combatem os famigerados radicais livres, moléculas danosas ao organismo. Embora o mecanismo ainda não esteja totalmente esclarecido, o que os especialistas dizem é que a ação bioquímica de alguns compostos dos óleos encontrados no grão retarda a degeneração de nossas células, um efeito financiado pelos radicais livres. Mas esse benefício só é obtido se a ingestão do alimento for contínua, moderada e prolongada. Nesse caso, fala-se até em prevenção contra o câncer de mama.
 Farinha, semente ou óleo?
A linhaça faz um bem danado às grávidas. Mas isso não significa que deva ser ingerida indiscriminadamente, até porque é um alimento bastante calórico. Procure comer de 25 a 45 gramas por dia, o equivalente entre uma e três colheres de sopa. Ela pode ser consumida em três versões: farinha, semente e óleo. Prefira a farinha, que oferece o benefício tanto do óleo quanto das fibras. É que a casca da semente não é quebrada na digestão e nem sempre conseguimos mastigá-la, favorecendo apenas a formação das fezes. Já o óleo oferece o benefício dos ácidos graxos e antioxidantes, mas não tem fibras. Mas, atenção, é preciso que a farinha tenha sido moída pouco tempo antes de chegar à mesa, caso contrário pode até se tornar imprópria ao consumo. Ela deve ficar em um pote fechado e fosco na geladeira por no máximo três dias. Outra opção, menos indicada, é usar farinhas orgânicas já embaladas e vendidas em supermercados. Evite comprar a granel ou em locais onde se ensaca na hora. Ah, os benefícios da linhaça dourada, importada, e da marrom, nacional, parecem ser similares.
Vai bem a qualquer hora
Experimente adicionar a linhaça a vitaminas, iogurtes, frutas e salada em geral. O mesmo pode ser feito com leite, extratos de soja e sucos. Outra opção é engrossar sopas e feijões com ela. Ou ainda substituir parte da farinha de milho, trigo ou mandioca pela farinha de linhaça na preparação de pães, bolos, biscoitos e outras massas. O sabor é agradável. Só não dá a mesma liga, por isso deve ser usada com outras farinhas. Aqueles que buscam os benefícios apenas de suas gorduras podem despejar uma colher de café sobre a refeição ou tomar uma colher de sopa em jejum. 

Fontes: Nutricionista Neila Camargo, pesquisadora do Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo; obstetra Dênis Jose Nascimento, professor adjunto do Departamento de Tocoginecologia da Universidade Federal do Paraná e presidente da Comissão Nacional de Gestação de Alto Risco da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia); e bioquímica Rejane Dias das Neves-Souza, professora da nutrição da Universidade Norte do Paraná.